Professores e alunos recebem prêmio Agrinho 2015

  • Data: 07/12/2015

Nayara Pereira
Saúde, qualidade de vida e meio ambiente, palavras que fizeram com que mais de 177.30 mil crianças acreditassem em um mundo melhor. E muito mais que isso, descobrirem que juntos podem ser mais fortes, traçando projetos que transformam uma comunidade. Esta foi a missão cumprida pelo Programa Agrinho 2015, que premiou, na quarta-feira (2), mais de 90 alunos e 100 professores. O evento foi realizado no Cel da OAB e contou com a presença de mais de mil convidados.

Realizado pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Rural em Goiás (Senar Goiás) e pela Federação da Agricultura e Pecuária de Goiás (Faeg), o programa que tem como objetivo complementar a educação cotidiana, estimulando um conjunto de ações voltadas para a promoção social. O prêmio mais esperado do ano, como em todas edições, foi o carro zero quilômetro para a categoria experiência pedagógica, que, neste ano, foi entregue para o professor da Escola Municipal Vicente Parreira da Silva, Joilton Ferreira de Moura, do município de Cachoeira Dourada.

Participando pelo terceiro ano consecutivo do programa, o professor foi responsável pela criação do Projeto Asas – Ambiente sadio, ambiente saudável, que englobou ações como: palestras com temas relacionados a saúde, campanhas para arrecadar brinquedos para o Hospital de Barretos, além de promoverem visitas médicas a população da zona rural, e a criação com a parceria da igreja Católica da cidade, para a fundação da Pastoral da Saúde, entre outras ações que mobilizaram a população da zona urbana e rural de Cachoeira Dourada.

“O Agrinho tem hoje, no Brasil, uma importância incalculável. Eu mobilizei alunos, professores, pais e toda a escola para abraçarem esse projeto. Visitamos o Corpo de Bombeiros, Policia Militar (PM), Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) e vários outros lugares em Itumbiara, com um único objetivo, mostrar para os alunos a importância das entidades que primam pelo bem-estar e qualidade de vida da população. Criamos também, paralelamente um jornal, chamado Agrinho, um blog e uma págna no Facebook para mostrar nossos projetos”, complementou.

Segundo lugar na categoria experiência pedagógica, a professora Katiusce Silva Santana, da escola Municipal Rural de Tempo Integral Ponte de Pedra, de Paraúna, foi premiada com uma motocicleta e comemorou. Junto com uma turma de alunos e professores, ela criou o projeto, “Projetando a educação: geração que transforma o mundo”, que foi a continuação de algumas ações do projeto idealizado em 2014. “Fizemos trabalhos voltados para a saúde da mulher, com palestras e mobilizações sobre a prevenção e cuidado com a vida. Além disso, fizemos ações de preservação de nascentes e criamos um jornal e também finalizamos a produção de um documentário com o nome: “Transformando o mundo”, que contou, com o envolvimento de todos da escola”, finalizou.

Alunos que sonham alto
Só na categoria redação, o número de inscrições ultrapassou 5.400 trabalhos divididos entre o 3° ao 9° ano de ensino fundamental. A pequena Kamilly Evangelista Amaral, participou pela primeira vez do Agrinho e classificou-se na região Nordeste. A menina, de 13 anos, fez uma redação sobre lixo eletrônico, que casou com um programa que já existe em sua cidade. “Escrever o texto mudou minha consciência. Quanto mais eu pesquisava sobre o tema, mais eu me interessava e queria mudar”, contou. Segundo ela, sua mãe e sua professora a incentivaram a participar do concurso. O resultado acabou sendo surpreendente. “E ano que vem estarei aqui novamente”, bradou.

Escola Agrinho
Piracanjuba foi a grande ganhadora do prêmio Escola Agrinho deste ano. O projeto, idealizado pela Escola Municipal de Educação Básica Modesto Antônio de Paula, tinha como objetivo a restauração de nascentes e limpar a margem de córrego. A escola aplicou referencias de bem-estar, saúde, preocupação social e ambiental de acordo com o contexto do município.

Agrinho 2016
O tema de 2016 terá como base a preservação dos mananciais. Entusiasmado, o presidente da Faeg, José Mário Schreiner fez um balanço do programa deste ano e anunciou o tema para 2016. “Foi um ano de trabalho muito intenso e é uma satisfação imensa estar aqui hoje. Os professores precisam estar motivados e precisam de reconhecimento. Por outro lado, as crianças são o futuro do nosso país. Batemos esse ano um grande recorde com mais de 9.6 mil alunos e 11.800 professores de cada canto do estado. Isso é magnifico. E espero que com o tema: “Água: preservação e uso no campo e na cidade”, mais alunos e professores tragam mais trabalhos e ações para batermos um novo recorde”, projetou.