Dirigentes destacam trabalho da Faeg nos 65 anos da entidade

  • Data: 07/12/2015

Assessoria de Comunicação
Aproveitando a reunião de diretores, produtores e presidentes de Sindicatos Rurais (SRs) na sede da Federação da Agricultura e Pecuária de Goiás (Faeg), onde acontece o Seminário Gestão de Qualidade, a entidade comemorou seus 65 anos. Com o objetivo de representar e zelar pelo produtor rural, a Federação estava muito bem representada, já que produtores dos quatro cantos do estado puderam avaliar o trabalho e a representatividade da entidade. Além disso, durante o encontro, o grupo aproveitou para debater temas como a importância de um sistema sindical mais próximo do produtor, a necessidade de se investir em recursos humanos e o papel do planejamento em uma boa gestão bem sucedida. Na ocasião, também comemorou-se os 23 anos do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar Goiás).

A Faeg é uma entidade sem fins lucrativos que faz parte do Sistema da Confederação da Pecuária e Agricultura do Brasil (CNA), entidade máxima de representação dos agricultores e pecuaristas brasileiros. Além da federação goiana, outras 26 trabalham em prol de quem vive da terra ou na terra. Para o presidente do SR de Jussara, Orion Caetano, Goiás está muito bem representado. “O SR é um braço da Faeg e é aqui que buscamos orientações e soluções para os problemas que nos tiram o sono. A Faeg é a nossa voz. Sem ela não seríamos nada”. Orion aproveita para defender que em 2016 a bandeira da Federação seja o fortalecimento dos SRs. “Precisamos mobilizar mais presidentes e produtores filiados, filiar aqueles que ainda não participam ativamente e colocar em prática tudo o que observamos na teoria aqui na Faeg”.

Propondo tamanha mobilização, Orion faz referência aos 127 SRs distribuídos em Goiás e que atuam nos 246 municípios do estado. Com esse time de peso, a Faeg trabalha para abranger os diversos segmentos da atividade rural, envolver pequenos e médios produtores, fortalecer a classe e tornar o ambiente produtivo rural mais desenvolvido, competente e competitivo. Ainda é de competência da entidade, promover o conhecimento sobre os assuntos inerentes à classe de produtores rurais e coordenar a ação sindical.

Na opinião do presidente do SR de Piranhas, Dermison Ferreira, a Federação caminhou 100 anos em 10. “O nosso presidente representa, de verdade, os produtores. Se não fosse o José Mário, a agropecuária goiana não estaria onde está”, conclui. Ele defende que em 2016 a principal bandeira da Federação seja a organização do setor lácteo. “Nós, produtores de leite, não temos preços garantido, documento que comprove a venda e prazo justo de pagamento”.
Com a missão de representar o produtor rural, zelando pelos seus interesses e contribuindo para o desenvolvimento econômico, social e ambiental da sociedade, a Faeg também busca ser reconhecida pela excelência de seu trabalho e de sua contribuição para o desenvolvimento da sociedade. Para o presidente do SR de Caiapônia, Ailton Vilela, ter uma entidade com 65 anos representando a classe é uma honra. “Nenhuma entidade chega a essa idade sozinha. No caso da Faeg, há uma diretoria que, cada vez mais, se compromete em inovar, empreender e fazer com que o sistema sindical seja mais unido. Estou orgulhoso de fazer parte dessa família”. Para Ailton, o direcionamento da Faeg em 2016 deve ser o mesmo de sempre: inovar para melhorar a qualidade de vida dos produtores.

História
A Federação das Associações Rurais do Estado de Goiás (Fareg) – que anos mais tarde se tornaria Federação da Agricultura e Pecuária de Goiás (Faeg) - foi criada em 1951. Poucos registros daquela época se mantiveram até os dias de hoje, mas a partir de 1957, as atas de diretoria foram devidamente registradas e guardadas, permitindo que a história da entidade se preservasse. Nesta época, a Federação já tinha sua sede social, no primeiro andar do número 47, da Avenida Goiás. A entidade foi fundada e teve como primeiro presidente, Joaquim Câmara Filho.

Dezesseis anos mais tarde, em 18 de novembro de 1967, nasceu a Faeg com o objetivo de representar e defender a categoria de empregadores rurais do estado. Ela foi criada como uma entidade sindical de natureza privada sem fins lucrativos. Na ocasião, foi eleita a primeira diretoria (provisória), composta pelo presidente, José Agenor Lino e Silva; secretário, Geverson de Mendonça Ribeiro e tesoureiro, José do Nascimento Caixeta.

José Agenor Lino e Silva realizou repetidas visitas ao interior do Estado, orientando às Associações Rurais para que se transformassem em Sindicatos de Empregadores Rurais. Alcançado o objetivo de erguer novas associações, o processo de constituição seguiu os trâmites normais e a Faeg teve seu reconhecimento consolidado pelo Ministério do Trabalho, com prerrogativas de Entidade Sindical de Grau Superior, representativa dos Empregadores Rurais do Estado de Goiás.