José Mário percorre interior em visitas técnicas e palestra

  • Data: 27/11/2014

Gilmara Roberto

O presidente da Federação da Agricultura Pecuária de Goiás (Faeg), José Mário Schreiner, deu início nesta quarta-feira (19/11) a uma série de visitas técnicas a serem realizadas no interior do Estado. Em Anápolis e Jaraguá, foram visitados treinamentos promovidos pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar) de Goiás, entidade que também tem seu conselho administrativo presidido por Schreiner. Em Goianésia, o presidente encerrou o dia com a realização de palestra sobre o tema “Empreendedorismo no contexto do Agronegócio”.

O Senar Goiás realiza cerca de 6 mil treinamentos por ano com a missão de promover a capacitação da família do campo, melhoria da qualidade de vida, integração social e exercício da cidadania. José Mário avalia que as visitas são fundamentais para verificar como as ações da Faeg e do Senar têm sido recebidas pelos participantes e se a missão da instituição tem sido cumprida. “Nosso trabalho e nossas lutas em Goiânia, em Brasília, ou por onde passamos, só tem sentido quando os nossos treinamentos e programas são capazes, de fato, de mudar a vida das pessoas para melhor”, declarou.

Pessoas como o senhor Cristiano Gomes Moreira. Aposentado, aos 67 anos e depois de ter dedicado uma vida à construção civil, Cristiano decidiu procurar num curso do Senar uma nova oportunidade profissional. Deixou a lida de pedreiro e procurou o Sindicato Rural de Anápolis para aprender sobre avicultura. “Sou o mais velho da turma e nunca tinha tido a oportunidade de aprender como nesse curso. Espero agora poder trabalhar com aves e ter uma nova profissão”, projetou.

Em Anápolis, José Mário visitou ainda uma turma do Pronatec Agro e outra de cultivo de pimenta. Em parceria com a Uni-Evangélica, estudantes de gastronomia receberam o curso do Senar Goiás, que os motivou não só a trabalhar com o beneficiamento da pimenta, como a produzi-la. Para a professora da faculdade, Núbia Camilo Vieria, a parceria com o Senar é fundamental para que os estudantes tenham uma formação extracurricular que seja útil numa atuação profissional específica. “Esse é o segundo curso que realizamos em parceria com o Senar, mas já agendamos um terceiro e pretendemos continuar abrindo novas turmas para atender a alta demanda dos alunos”, informou Núbia.

“O mercado de pimenta está aquecido e isso tem gerado grandes demandas pelo curso. A atividade tem se tornado foco de empresas de alimentação e também já se tornou fonte de renda para famílias inteiras que passaram se dedicar exclusivamente ao cultivo de pimenta”, declarou Hugo Francisco Dias, instrutor do curso de cultivo de pimenta do Senar.

Para a produtora rural Rosa Maria da Silva, de Jaraguá, que não teve oportunidade de estudar quando criança, dedicada que sempre foi à vida da roça, o curso de plantas medicinais oferecidos pelo Senar foi uma oportunidade de fazer amigos e aprender sobre a rica vegetação do Cerrado com a qual convive diariamente. “As meninas do curso e a professora são muito boas. Aprendi sobre muitas ramas que eu já conhecia, mas não sabia para que servia”, informou.

Palestra

No fim do dia, José Mário participou do encerramento do ciclo de palestras da IX Semana do Administrador, promovida pelo Campus Goianésia, da Universidade Estadual de Goiás (UEG). Estudantes dos cursos de administração, agronomia e técnico agrícola receberam informações sobre como o empreendedorismo associado à atividade do agronegócio pode oferecer soluções para demandas mundiais.
Schreiner destacou a importância do trabalho do produtor rural brasileiro e goiano no contexto de desenvolvimento da economia global, onde a população cresce e a demanda por alimentos também. “Até 2048, teremos de aumentar a produção de alimentos em 50%. Desse total, 50% deverá será produzido pelo Brasil. Por isso, hoje o país está no centro da discussão mundial por alimentos”, avaliou.

De acordo com o presidente da Faeg, o Brasil é o país que pode se tornar definitivamente o celeiro do mundo porque possui recursos naturais disponíveis, além de tecnologia para explorar a produção de maneira sustentável e ampliar a produção sem aumentar as áreas utilizadas pela agropecuária. “De 1976 a 2011, a produção agropecuária cresceu 308% e a área plantada cresceu 55% no Brasil. Isso é o reflexo do uso da tecnologia aplicada no campo, que faz do agronegócio o setor mais moderno da economia brasileira. Não há nenhum outro setor no mundo que tenha evoluído e incorporado tanta tecnologia”, informou Schreiner. Para o palestrante, o avanço do setor é fruto também do envolvimento de mão de obra cada vez mais qualificada, seja na área técnica, seja nas áreas de administração, meio ambiente e gestão, de forma geral.

O coordenador do curso de administração da UEG, Saulo Santos, informou que a escolha da palestra de José Mário para compor a programação da Semana do Administrador teve como objetivo ampliar os horizontes dos estudantes, que muitas vezes possuem uma visão restritiva do agronegócio. “Quando José Mário fala das oportunidades e do empreendedorismo no setor agropecuário, ele tira a visão de que no Brasil só há grandes produtores de commodities. Os estudantes muitas vezes ficam restritos à visão de pesquisadores e a palestra é fundamental para que tenham uma noção mais ampla das oportunidades do setor produtivo no Brasil”, avaliou o coordenador.

O superintendente da Faeg, Claudinei Rigonatto, e o gerente sindical da Federação, Antelmo Teixeira Alves, acompanharam o presidente José Mário Schreiner no cumprimento da agenda.