Conselheiros do Senar Goiás discutem ações para 2015

  • Data: 19/11/2014

Michelle Rabelo

Com o objetivo de apresentar as ações do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar) Goiás e discutir o que precisa ser feito no ano de 2015, o Conselho Consultivo da entidade se reuniu na manhã desta sexta-feira (26) e conheceu de perto a nova missão da casa, que deixará de formar para educar profissionalmente o produtor rural. Na ocasião o grupo também elegeu o novo presidente do Conselho, que no próximo ano será comandado pelo professor da Universidade Federal de Goiás (UFG), Juarez Patrício. Ele assume no lugar do também presidente da Federação da Agricultura e Pecuária de Goiás (Faeg), Leonardo Ribeiro.

A reunião foi uma espécie de prestação de contas durante a qual o superintendente do Senar Goiás, Eurípedes Bassamurfo, explicou o que a entidade fez durante os nove primeiros meses de 2014. “Fico muito feliz em ver tanta representatividade aqui, mas quero pedir uma participação ainda mais ativa e constante dos membros deste conselho, durante todo o ano, junto ao Senar Goiás”, disse, se referindo aos representantes dos diversos setores ligados a agropecuária.

Os membros do conselho também foram recebidos por Leonardo Ribeiro, que fez questão de ratificar que o encontro objetiva “misturar conceitos e ideias para fazer um Senar ainda dinâmico, com um atendimento cada vez melhor para o produtor rural”. A reunião serviu também para integrar os três Conselhos da Casa: administrativo, consultivo e fiscal e ouvir diferentes opiniões sobre a necessidade de mudança do Senar Goiás diante da nova realidade do mundo globalizado. “O homem do campo precisa estar sintonizado com as mudanças que ocorrem o tempo todo ao nosso redor. Ele precisa se preparar, capacitar, conscientizar e modificar sua visão de mundo”.O presidente, que também é produtor de grãos em Alto Paraíso, fez questão de falar sobre o setor e a necessidade de se discutir uma visão mais ampla sobre a capacitação rural. “A atividade agropecuária é, acima de tudo, gratificante. É nobre, pois não fazemos pelo dinheiro, e sim pelo sonho. O dinheiro é consequência”.

História de sucesso

Eurípedes Bassamurfo fez um breve comentário sobre a criação do Senar Goiás, que ocorreu em abril de 1993, e explicou qual o papel da entidade dentro da sociedade. “Ao todo são 27 federações ligadas à CNA – Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil. Junto à Faeg está o Senar Goiás e, além disso, o nosso produtor conta com 128 Sindicatos Rurais. Tudo pela representatividade e pela capacitação do homem do campo, que hoje representa cerca de 20% da população total”.

O encontro ocorre anualmente, mas para o professor Osvaldo Guimarães – membro do Conselho Administrativo do Senar Goiás – os encontros deveriam acontecer com intervalo mínimo de seis meses. Osvaldo, que também é pecuarista em São Miguel do Araguaia, defende que quanto mais encontro houver e mais ideias forem debatidas, mais chances o Senar Goiás terá de acertar.Concordando com Osvaldo, Leonardo Ribeiro explicou que o Senar precisa estar à frente das demandas, se sensibilizar para detectar com o que o produtor sonha e atende-lo com agilidade. “Queremos garantir renda, melhorar o bem estar, capacitar e aumentar as expectativas do homem do campo. Ele tem que brigar de igual para igual com produtores dos quatro cantos do país”.

Atualmente, Goiás foi dividido em nove partes e cada uma delas é coordenada por um supervisor regional do Senar Goiás. É ele quem atende as demandas dos produtores, parceiros e Sindicatos Rurais. Na opinião de Bassamurfo, a divisão contribui para o sucesso das ações realizadas pela entidade. Em 1993, quando foi criado, o Senar realizou 72 ações. Já no ano de 2013 esse número subiu para 4.846. Dividindo em treinamento de Formação Profissional Rural (FPR) e Promoção Social (PS), calcula-se:

Formação Profissional Rural (FPR): 1º quadritrimestre - 1.191; 2º quadritrimestre - 1.460; 3º quadritrimestre - 1.349
Promoção Social (PS): 1º quadritrimestre - 256; 2º quadritrimestre - 366; 3º quadritrimestre - 384

Uma nova missão

Bassamurfo apresentou ainda a nova missão do Senar Goiás. Antes a missão era capacitar a mão de obra, desenvolvendo ações de formação para quem desenvolve suas atividades no campo. A partir de agora essa missão é realizar a educação profissional e promoção social de quem vive no meio rural, resultando em profissionalização, qualidade de vida, exercício de cidadania e desenvolvimento sustentável.Segundo Maria das Graças Borges – presidente do Conselho Fiscal do Senar Goiás e presidente do Sindicato Rural de Guapó - essa mudança é importante para reforçar ainda mais a confiabilidade da entidade perante os membros do conselho e a sociedade como um todo. Assim, com uma atuação direta e focada na transparência o Senar Goiás tem, juntamente com suas parcerias, espera continuar promovendo o desenvolvimento do campo gerando bons frutos ao produtor e trabalhador rural e seus familiares.

O atual foco do Senar Goiás é a educação continuada, com a capacitação de crianças, jovens e adultos. Para isso, a entidade oferece capacitações no Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec), treinamentos tipo FPR e PS, os programas de maneira geral e cursos do Ensino à Distância (EaD), entre outros.