Maria Fries recebe homenagem durante premiação do Sistema Faeg/Senar

  • Data: 04/07/2016

Assessoria de Comunicação
Pessoas de todo o mundo lutam para conter a destruição do meio ambiente, desenvolvendo projeto que visam recuperar fauna e flora, restaurando a sustentabilidade. Enaltecendo um destes desbravadores, durante premiação do programa Proteção de Nascentes, a Federação da Agricultura e Pecuária de Goiás (Faeg), o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural em Goiás (Senar Goiás) e Sindicatos Rurais (SRs) homenagearam o empresário Milton Fries, cujo trabalho foi inspiração para a iniciativa.

Cidadão do município de Mineiros, tinha a meta de plantar um milhão de mudas para recuperar a mata ciliar e as áreas degradadas do Rio Araguaia. Após falecer, em 2012, o projeto continuou – e se expandiu – com sua família. Hoje, a meta é de duas milhões de mudas. Maria Fries, esposa de Milton, recebeu das mãos do presidente da Federação, José Mário Schreiner, uma placa em homenagem ao trabalho feito por toda a família Fries. “Este é um gesto simbólico frente a todo o trabalho que fizeram por um mundo mais verde”, sublinhou.

Ao todo, a família Fries plantou, até agora, 1.055 hectares de área de reflorestamento e seu projeto ultrapassou fronteiras. Hoje, o trabalho inspira ambientalistas, produtores rurais e pessoas de todo o mundo. “Nossos mais sinceros agradecimentos e reconhecimento por tudo que fizeram ao meio ambiente”, finalizou Schreiner. Emocionada, Maria Fries disse que a luta por um mundo mais verde deve ser diária. “A água é nosso bem mais precioso. É uma batalha que deve ser incansável”, ressaltou.

Proteção de Nascentes
Dando continuidade ao concurso realizado pelo Senar Central, o Senar Goiás lançou, este ano, sua própria versão do programa Proteção de Nascentes, abrangendo apenas os Sindicatos Rurais goianos. A premiação desta versão regional do concurso aconteceu nesta sexta-feira (24), na sede da Federação da Agricultura e Pecuária de Goiás.

Houve duas categorias de premiação: maior número de nascentes protegidas e melhor iniciativa. Como recompensa, o vencedor da primeira categoria levou seu municípios uma pick-up - que foi o prêmio da edição nacional - e, o da segunda categoria, uma moto, ambas 0km. Os vencedores foram, respectivamente, Caçu e Paranaiguara. A ideia era identificar, mapear e preservar olhos d’água em cada município, impactando positivamente uma propriedade, comunidade ou região, em relação à melhoria de qualidade e da quantidade de água disponível para o consumo e preservação da biodiversidade.

Segundo o chefe do departamento técnico do Senar Goiás, Flávio Henrique, o sucesso da edição nacional se repetiu na nacional. “Os números foram bastante expressivos. Ano passado, protegemos 665 nascentes. Desta vez, foram 1.038. Totalizamos, portanto, 1.703 olhos d’água protegidos”, disse. Para o presidente da Federação, José Mário Schreiner, o mais importante foi incentivar os Sindicatos a proteger o meio ambiente. "O número alcançado nos surpreendeu. Ficamos contentes que vocês abraçaram esta luta conosco", sublinhou.

Na verdade, o maior ganho, para Flávio e José Mário, é reconhecer o papel do produtor rural - e dos SRs - nas ações de sustentabilidade e proteção do meio ambiente. Todos os mananciais foram encontrados entre fevereiro e 15 deste mês. Em cada um deles, foram aplicados os cinco passos do programa: identificar, cercar, limpar a área, controlar erosões e plantar mata ciliar nativa.

 

Confira AQUI o ranking dos municípios com o melhor desempenho.

 

Mais água à vista!
O Proteção de Nascentes terá continuidade. “Talvez não na versão de concurso, mas vamos direcionar e adaptar nossos treinamentos de formação profissional rural de recuperação de mata ciliar e áreas degradadas, plantio e tratamento de madeira, para ensinar técnicas de cercar os mananciais”, explicou Flávio. O Senar Goiás, continuou ele, reconhecerá e divulgará todas as iniciativas, desenvolvidas pelos os Sindicatos ou produtores, que visam cuidar do maior bem da natureza: a água.