Na tarde de sábado, 24, encerrou-se o ciclo de Painéis, espaço voltado para palestras e debates sobre a produção de carnes bovinas, suínas, de frangos e ovina.

  O painel 04, que trouxe  como título “O essencial é invisível aos olhos” traçou  um delineado sobre a seleção genética, a eficiência alimentar e a engorda a pasto, visando uma produção mais competitiva. 

WhatsApp Image 2018 03 25 at 13.53.10

Design sem nome     Abrindo o último painel da EXPOPEC 2018, Rodrigo Brunner, da Agropecuária Tulipa apresentou estratégias para se atingir maior rentabilidade por unidade de área, com sustentabilidade e visão de longo prazo, através da palestra “Resultados econômicos da seleção genética”. Segundo Rodrigo, existem alguns pilares para alcançar essa rentabilidade sustentável: definir objetivos, metas e tempo; ter conhecimento técnico; aplicar adequadamente os melhores métodos e tecnologias disponíveis. “Antes de sair investindo, defina o seu modelo de produção. Gere números com credibilidade.”

   O administrador agropecuário Rodrigo Brunner apresentou uma palestra técnica com dados, gráficos e resultados das vantagens positivas em se trabalhar a seleção genética focada na pecuária de corte. Ficou provado que vale a pena investir em seleção genética pensando-a como tecnologia para aumento de maior produtividade e lucratividade para a cadeia. “Genética isolada não faz nada. Tudo precisa ser contextualizado. Genética de excelência produz carne de qualidade.” reiterou. 

   Tarcísius Tornetto, da Fazenda Irmãos Tonetto, apresentou, logo em seguida, uma história de 51 anos de negócio que surgiu com o seu pai. A família sempre prezou pelo trabalho e pelo empreendedorismo, e baseado nisso palestrou com o tema: “Eficiência Alimentar: produzindo mais e melhor, com menor”. 
    Durante sua palestra explicou a importância da Heterose, uma ferramenta onde se tem o aumento de produtividade sem custo adicional dentro da operação. A técnica visa o rendimento de carcaça. “Heterose é boa pra peso e vitalidade do aumento de peso de bezerros.”, explica.

   Além disso, Tarcísio apresentou um Projeto de Eficiência Alimentar que tem por objetivo identificar os animais com alta eficiência alimentar através do consumo alimentar residual, animais com bom temperamento, animais com capacidade para depositar gordura. O foco está na melhor eficiência, ganho de peso, qualidade da carne, e entrega ao consumidor. 


Encerrando o Painel e o ciclo de Palestras, Flávio Dutra, da Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios, comunicou com o público sobre  “Engorda a pasto, competitividade insuperável”. Demarcou que qualquer fazenda precisa conhecer a sua produção de forragem ao longo do ano, considerando todas as variáveis climáticas específicas de cada região.

  Esse detalhe fará total diferença no sistema de produção a pasto. Flávio instigou o público a pensar “Temos 212 milhões de cabeças de bovinos no Brasil, mas os EUA com apenas 89 milhões produz mais carne que nós. O que tem de errado nisso aí?”  “Se você não tem a estratégia, com certeza será a estratégia dos outros.”, encerrou.

Por Adriene Pires e Ivan Lucas

Fotos: Larissa Melo e Anne Vilela